segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Antonio Marinho, Desde São José do Egito * Antonio Cabral Filho - RJ

Antonio Marinho
O Poeta Que Calou o Congresso
https://www.youtube.com/watch?v=A6vKPYBxb7s 
*
Antonio Marinho, nome literário do poeta Antonio Marinho do Nascimento, é natural de São José do Egito - PE, terra da poesia e de poetas indomáveis.

Corre uma lenda por aquelas bandas, que circula de déu em déu, que Jesus, certa vez, passeava por uns lugares meio áridos, num dia de sol inclemente, e em dado momento de muito cansaço, olhou para o céu, tonteou e caiu, à sombra de um arbusto seco, só gravetos, e dormiu coberto de azul; e que horas mais tarde foi encontrado por uns pastores que por ali se enveredavam atrás de reses desgarradas e encontraram-no em sono solene, sem nenhum sinal dos maus tratos comuns aos peregrinos. Segundo dizem, esse lugar é conhecido hoje como sendo São José do Egito, em Pernambuco, pois afirmam que os pastores confundiram Jesus com São José, e desde então todos se poem a entoar cantos e recitar salmos para o céu sempre azul anil. Daí, afirmam, ser a terra da poesia e tão fértil de poetas.

É daí que vem Antonio Marinho, extensão de uma linhagem de tradição poética, filho de Zeto e Bia Marinho, neto de Lourival Batista, bisneto de Antonio Marinho, sobrinho de Otacílio e Dimas Batista, de Graça Nascimento e de Job Patriota ( por emoção). 

Nasceu em 1987, declamando desde os três anos, escrevendo desde os seis, laçando livros desde os 16, seu primeiro "Nascimento". Reside em Recife e faz recitais em todo o Brasil.

Creio que quem o viu recitar à frente da corja mais corrupta da face da terra - os políticos brasileiros - viu Castro Alves, Maiakovski, Garcia Lorca e todos os poetas revolucionários, flamejando seus versos de fogo contra a ignomínia, com uma verve feita na forja das tradições populares brasileiras e nordestinas, de onde brotam poetas férteis e arrojados como sua família atesta de longa data.
Nascimento, seu primeiro livro.
*

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Antonieta Borges Alves, desde Cruzeiro - SP * Antonio Cabral Filho - RJ

Antonieta Borges Alves, desde Cruzeiro - SP
232 Poetas
Paulistas: 
Antonieta Borges Alves é agraciada com a publicação do Soneto Felicidade:

Felicidade - único motivo
da labuta de toda a humanidade!
Por ela se debate o fraco, o altivo...
Mas afinal, o que é Felicidade?

- Se dos destinos ela é objetivo,
é direito dos seres, que não há-de
faltar para ninguém, eu não me esquivo
de ter por alicerce esta verdade:

Felicidade é ter discernimento,
recusar o supérfluo da medida,
simplificando o jeito de viver.

e, consistindo no desprendimento,
felicidade - é não querer da vida,
mais do que a vida pode conceder.
*
Folhas de Trevo
 Elegia de Maio

Elegia de Maio", uma ternura
que se debruça sobre a sepultura
se minha mãe surgisse de repente,
com seu sorriso, o seu olhar amigo
repleto da mais vívida ternura.

Beija-la-ia exageradamente;
eu que tão só por esta vida sigo,
eu que conheço quanto ela foi pura!

Ela, porém, não sente meu encanto,
nem mais precisa da carícia bela...

Então meu beijo se transforma em pranto,
e se derrama sobre as cinzas dela!...
*
Lírios de Pedra
1966
*
Esposa de Pastor

Acompanhando o esposo em suas lides,
aqui, ali, além, onde Deus quer,
a esposa do pastor é a mulher forte,
o verdadeiro exemplo de mulher!

Ser esposa, meu Deus, é tão difícil!
Quanto mais ser esposa de pastor!
Ele, em seu ministério, o que seria
sem esse misto de mulher e flor?

Ela é aquela que ora, canta, vive
espalhando entre os crentes a esperança;
tem mãos para servir, serve contente,
é a heroína do lar que não se cansa!

Pois, neste dia de alegria tanta,
entre orações e cânticos, e flores,
roguemos ao Senhor que abençõe muito
as esposas de todos os pastores.

Minibio

Antonieta Borges Alves, 
paulista nascida em Cruzeiro a 18 de setembro de 1906. É professora, jornalista, contista e poetisa, integra a Antologia 232 Poetas Paulistas, organizada por Pedro de Alcântara Worms e tem dois livros publicados: Lírios de Pedra lançado em 1966 e Folhas de Trevo, sem registro de data. Além disso, encontramos referências suas no Portal Falando de Trovas: 
http://falandodetrova.com.br/antonietaborges 

Sobre ela diz Pedro de Alcântara Worms:
Na internacionalidade
do brinde à Felicidade
há mitos vivas e salves.
- Ser feliz... oh! que vontade!..
...É simples, ouça a verdade
de Antonieta Borges Alves.
*

quinta-feira, 15 de junho de 2017

EU * Antonio de Pádua Elias de Sousa - MG

Eu


Poderia ser Eufrásio,
Euleotério, Euzébio,
Ou ainda, Eugênio,
Mas sou simplesmente, “eu”.
Eu me alegro e sorrio.
Eu entristeço e choro.
Eu, no sofrimento, canto,
E seus efeitos espanto.
Eu escrevo e leio.
Eu trabalho e divirto.
Eu, na minha gande fé, rezo
E pelos meus eu prezo.
Eu, agrado e magoo.
Eu reconheço e me desculpo.
Eu, ainda, não setenta,
Mas sete vezes perdoo.
Eu acerto.
Eu erro.
Eu, não sou perfeito,
Mas, me acho um bom sujeito.
Eu acredito e aconteço.
Eu, na oportunidade, apareço.
Eu não preciso de ter,
Eu, mais valorizo o ser!
Eu vim.
Eu vou.
Eu sei.
Eu sou.
Eu amo.
Eu, não odeio.
Eu agora confesso.
Sou, diariamente, progresso.
Eu, vivo e faço a história.
Eu morro e fica a memória.
A família é o maior patrimônio.
“Eu”, me chamo Antônio.
                                                                      Antônio de Pádua Elias de Sousa      

                                                                                        07/02/11   

*

MiniBio


Antonio de Pádua Elias de Sousa –
 Formiga – MG,

Membro da Academia Formiguense de Letras – AFL,
formado em administração, blogueiro, casado,
três filhos, poeta e trovador, milita na imprensa
literária local e nacional, participa de concursos
e integra várias antologias nacionais, entre elas a Antologia Poética Poesia Pau Brasil. Soma 58 anos.

*

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Voto Em Branco * Antonio Pádua Costa - SP

Antonio Pádua Costa - SP
*
Voto Em Branco
"Ora (direis) votar em branco! Certo
perdeste o senso!" E eu vos direi, de pronto,
que assim votando ( "chi lo sá") decerto
não fui na onda, nem caí no conto.

E receando dar meu voto tonto,
assim à toa, a um candidato esperto,
não quis votar, gozando o desaponto
dos candidatos, ao ser este aberto.

Direis agora, amigo: "Isso é despeito,
uma besteira que não adianta nada,
nem prejudica a apuração do pleito!"

Eu vos direi, pois gosto de ser franco!
"Não tenho fé mais nessa "macacada",
eis o motivo por que voto em branco!"

Minibio

"Poeta Antonio Pádua Costa, paulista, antes de 1947, - ano da sua morte - pregou o VOTO EM BRANCO!!! Qualquer semelhança com os tempos atuais é mera coincidência" Leiam!!!" - Antonio Miranda, poeta, escritor e editor do Portal Antonio Miranda.

APC nasceu em Pindamonhangaba a 24 de Janeiro de 1900 e faleceu a 06 de agosto de 1947. Parodiou espirituosamente Olavo Bilac e Antero Bloem.

Informe bibliográfico: 
Worms, Pedro de Alcântara. 232 Poetas Paulistanos. Rio de Janeiro, Editora Conquista 1968, página 497.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Antonio Queiroz de França * Antonio Cabral Filho - Rj

Antonio Queiroz de França
é cearense de Jaguaretama, mas reside em Maracanau. É poeta cordelista, autodidata, integra a SOPOEMA - Sociedade dos Poetas e Escritores de Maracanau. É um escritor reconhecido por seu trabalho, pois imprime um caracter cada vez mais aprofundado aos temas que aborda. Exemplo: Manifesto Comunista, com o qual elaborou um cordel e que vem se popularizando cada vez mais. Além disso, se declara anarquista.
AQF tem outros trabalhos transformados em cordel, como o conto Os Três Anciãos, de Leon Tolstoi; tem ainda um apanhado em filosofia baseado em Homem, O Lobo do Homem, de Thomas Hobbes, filósofo inglês. Segundo ele, a ideia surgiu em função de o povo não saber o que não interessante o Estado divulgar, ótimo para ser aplicado em sala de aula, confirma AQF.

*
Seu livro O Homem de Nazaré, pode ser encontrado aqui
http://www.livrariaandreoli.com.br/livro-homem-de-nazare-o-9788562410208,A48790.html
Seguem dois links para os amigos conhecerem-no melhor
1 - Socialista Morena
http://www.socialistamorena.com.br/o-manifesto-comunista-em-cordel/ 
2 - Jornal Inverta
http://inverta.org/jornal/edicao-impressa/482/cultura/a-literatura-de-cordel-de-antonio-queiroz-de-franca-a-servico-da-revolucao 
3 - Seu Perfil No Facebook
https://www.facebook.com/antonioqueirozdefranca.queirozdefranca 
***